Pílulas de química

Por Hélio Messeder

Tomei todas, estou passando mal e a culpa é da química?

Imagem: internet

Festas de fim de ano chegando, tiozinho fazendo piada do pavê ou para comer, verão chegando com tudo e a galera só quer saber mesmo de uma coisa: tomar aquela cervejinha gelada exxxperta, aquela caipiroska danada ou tudo isso junto e misturado. Aqui em Salvador nós chamamos isso de “comer água” ( não estamos falando de mastigar gelo). O cenário perfeito e mágico se anuncia: clima de paquera e agito, arrocha tocando no rádio, você contando quantos engradados tomou, canudo de metal que já passou em várias bocas, aquela vontade de mandar mensagem para o ex etc.

Tudo no devido lugar para um período comum de fim de ano.
Mas, caro comedor de água, toda magia tem seu preço. No outro dia, ou no mesmo dia para aqueles mais apressadinhos, vem a famosa e inimaginável: RESSACA. Mais conhecida como “nunca mais vou beber de novo”, a ressaca é aquele negócio que parece amor, você não sabe definir direito, só sabe sentir. Então, como isso aqui é uma pílula química, falemos quimicamente sobre essa tal ressaca.

A ressaca é um negócio que a ciência já estuda há muito tempo, mas não temos muitos consensos sobre suas reais causas. Para a maior parte dos cientistas, os sintomas de intoxicação de quando se bebe álcool em demasia se dá por vários fatores combinados. O primeiro seria o excesso de enzimas que seu fígado precisa produzir para degradar o etanol. Quando você bebe demais, seu fígado ativa o modo power ranger megazord e termina produzindo mais enzima do que o necessário. Esse leve excesso, seria um dos responsáveis pelos sintomas desagradáveis da ressaca. É dái, inclusive, que surge a ideia de que para “rebater” a ressaca seria preciso tomar uma cerveja no dia seguinte ( Não faz isso não beloved, tu vai entrar num ciclo sem fim).

Ainda sob responsabilidade do fígado, quando ingerimos etanol, este é convertido em acetaldeído e logo depois em acetato (inofensivo para o organismo). No entanto, quando bebemos muito, a velocidade de conversão do etanol para o acetaldeído é maior do que de acetatldeído para acetato. O excesso de acetaldeído na corrente sanguínea parece contribuir para os enjoos, vermelhidão, pressão baixa etc.

Mas se tu achou que o etanol era o único problema da sua noite de farra e excessos está bem enganado. As bebidas são misturas de vários outros compostos químicos, os chamados congêneres, a depender da sensibilidade ou metabolismo das pessoas a quantidade ou tipo de congênere pode potencializar o efeito da ressaca ( metanol, por exemplo, é um congênere de muitas bebidas). Eis o motivo de sua ressaca ficar mais forte ou mais fraca a depender do que você misturou na balada. Miga, deixa eu te falar: catuaba, Skol Beats, Vodka e litrão de devassa não tem corpo que aguente tanto congênere. Melhore!

Mas parece que essas não são as únicas causas. O álcool tem efeito diurético e você perde bastante líquido enquanto está na balada com o copo sempre cheio e o coração vazio. A falta de água causa dor de cabeça, sede, além de desregular o sódio e o potássio do organismo.

Não há tratamento eficaz para ressaca, a não ser esperar seu fígado processar todo o álcool que tu bebeu naquele open bar maroto de cerveja quente. Todos os tratamentos comuns ( café, antiácido, analgésico, anti-histamínico, banho gelado) servirão para aliviar os sintomas, mas não aceleram o metabolismo do fígado. Além de aliviar os sintomas com chás e remédios, beber bastante água e comer coisas com mais açúcar podem ajudar nesse processo de você voltar das cinzas da balada.

No mais é isso, aproveite o fim de ano, se for comer água não case e me chame. E assim como a dor de amor, a ressaca vai passar e você vai amar beber de novo e não cumprir mais essa promessa no fim de ano.

Referências

https://super.abril.com.br/compor…/como-enfrentar-a-ressaca/

https://super.abril.com.br/…/8-remedios-faceis-de-encontra…/

https://super.abril.com.br/cien…/por-que-ficamos-de-ressaca/

https://brasil.elpais.com/…/…/ciencia/1465993715_476877.html

https://drauziovarella.uol.com.br/alimen…/cafe-cura-ressaca/

https://www.chemistryviews.org/…/Chemistry_of_a_Hangover__A…

https://www.chemistryviews.org/…/Chemistry_of_a_Hangover__A…
http://asverdadesdaquimica.blogspot.com/…/principais-causas…

http://www.petquimica.ufc.br/a-quimica-da-ressaca/

GOMES, Bruno da Silva. Efeitos causados pela ingestão de álcool em praticantes de musculação. 2013.

ANDRADE, Zilton de Araújo et al. As relações entre álcool e fibrose hepática. 2006.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s