Brasil ainda tem 122 barragens que oferecem riscos de rompimento, afirma consultoria ambiental

Onze são do estilo alteamento montante, método utilizado na barragem de Brumadinho

Foto- Reprodução/ Rede Globo

Por Gustavo Medeiros

Um ano após a tragédia que envolveu uma barragem da Vale em Brumadinho (MG), que matou 259 pessoas, um levantamento feito pela consultoria ambiental dinamarquesa Rambol constatou que o Brasil ainda apresenta 122 barragens que oferecem risco. Desse total, cerca de 84 pertencem a mineradora.

No levantamento, a consultoria detectou que, das barragens que ainda oferecem riscos de rompimento, cerca de onze são do estilo alteamento montante, do mesmo tipo de Brumadinho e do Fundão, operada pela mineradora Samarco, que se rompeu em 2015, vitimando 19 pessoas.

A construção de barragens, que trabalham com o método de alteamento é considerada de baixo custo e menos segura. Uma resolução da Agência Nacional de Mineração (ANM), proibiu a utilização do método de construção ou alteamento de barragens de mineração denominado ‘a montante’ em todo o território nacional”.

Fonte – Bahia.ba

Movimento de Atingidos por Barragens se reúne com governador Rui Costa e representantes para tratar do rompimento da barragem em Pedro Alexandre

Grupo alerta sobre rompimentos em outras barragens na região

Foto- Divulgação

Por Gustavo Medeiros

O governador Rui Costa se reuniu com representantes do Movimento de Atingidos por Barragens (MAB) no último domingo (14),após sobrevoar a região do município de Pedro Alexandre, onde uma barragem se rompeu e alagou o povoado do Quati, além da cidade vizinha de Coronel João Sá na última quinta-feira (11).

O encontro contou com a presença de representantes do Corpo de Bombeiros,Defesa Civil,Assistência Social do município, Companhia de Engenharia Hídrica e Saneamento da Bahia entre outros. Na oportunidade, foram listadas a necessidade de distribuir cestas básicas, realizar a manutenção de estradas e efetuar o cadastro de novos atingidos.

O grupo, também formado pela Pastoral Social e Sindicato dos Trabalhadores Rurais e MAB frisou a importância de observar a segurança e analisar outras estruturas da região para evitar novas ocorrências.

De acordo com o coordenador do Movimento, Moises Borges, o clima é de preocupação. Ele ainda alertou sobre o risco de rompimento em outras barragens na região e lembrou que ainda existem famílias em situação de isolamento no povoado do Quati.

Fonte – Metro 1

Barragem corre risco de rompimento em Maiquinique

Situação é pior do que a de Brumadinho. Auditores interditaram local

Foto- Divulgação

Por Gustavo Medeiros

Sob risco de rompimento, uma barragem foi interditada no município de Maiquinique (630 km de Salvador) na última terça-feira (9). De acordo com a Superintendência Regional do Trabalho (STR/BA) , há risco iminente de rompimento e inundação de lama e demais rejeitos nas instalações da empresa que explora o serviço.

Segundo os auditores responsáveis pela inspeção, a situação da barragem é pior do que a de Brumadinho. A construção também foi apontada na categoria de risco alto pela Agência Nacional de Mineração (ANM) e não poderá receber mais rejeitos.

No relatório emitido pelos auditores, foi constatado que há graves problemas de segurança e saúde no local,além de apresentar sinais de comprometimento da estrutura e não monitoramento de segurança. O documento comprova que a Grafite do Brasil, responsável pela barragem, estava ciente das irregularidades e não adotou as medidas necessárias. Cerca de 150 empregados trabalham no local.

A fiscalização contou com a parceria dos agentes do Ministério Público federal (MPF), Ministério Público do Trabalho (MPT) e Ministério Público Estadual.

Fonte: Correio da Bahia e Bahia.ba